Qual é o modelo de almoxarifado ideal?

ALMOXARIFADO

Um modelo de almoxarifado que ainda é muito utilizado no mercado, mesmo em grandes empresas, é o central. Realmente, analisar todos os custos da cadeia não é uma tarefa simples, e normalmente o nosso foco e energia fica direcionado aos grandes volumes de compras, a busca pelo menor preço, e as formas de armazenamento.

É preciso ficar atento aos detalhes do processo, pois podem ocorrer dezenas de custos duplicados, desde do início da compra até a entrega final para o cliente. Dentro desse procedimento de supply chain a logística está presente em todo o percurso da cadeia, desde a aquisição da matéria prima até a entrega para o usuário final, a conta é simples, quanto maior o número de empresas/pessoas envolvidas no processo, maiores serão o custo total de aquisição.

Antigamente, a área de compras possuía o foco 100% em preço de produto e não analisava todos os custos envolvidos na operação, dês da logística até a entrega para o usuário final, que é, sem dúvida, a parte mais significativa do custo total.

Esse processo de outsourcing, ou seja, terceirização para materiais indiretos já é bem difundido, essa decisão normalmente partiu da área de logística ou da área financeira, que conseguiu identificar e erradicar os custos com almoxarifado próprio para materiais indiretos.

Com as mudanças de mercado, grandes fabricantes de produtos da Curva A, começaram a atuar direto, oferecendo serviços de entrega pulverizada diretamente aos clientes finais. Essa solução foi adotada por diversas empresas e os produtos da Curva B e C dentro das famílias de material de escritório, informática, descartáveis, EPI´s, higiene e limpeza, alimentos, uniformes e itens personalizados, foram loteados em diversos fornecedores diferentes.

O problema inicial com o almoxarifado nas empresas foi resolvido, porém, transformou a operação segmentada em um processo pouco eficaz, pois, cada fornecedor carrega um custo elevado para o manuseio e distribuição de produtos da curva B e C, principalmente com o Cost, Insurance and Freight (Custo, Seguro e Frete – CIF) que na maioria dos casos, os custos do frete e do seguro já estão inclusos no preço do produto, tornando o manuseio e o frete muito significativos diante dos baixos valores dos pedidos.

A análise de compras passa a ser de cada “caixa” e não mais da solução completa. E mesmo assim o resultado é melhor se comparado ao modelo de almoxarifado central.

Independente do porte da empresa, quando se pretende fazer o produto chegar às mãos do usuário final, muitas são as etapas e os custos com a infinidade de fornecedores ou prestadores de serviço. Fica claro que a soma do custo operacional e frete de cada fornecedor encarece a solução final, e ainda cada fornecedor exige um valor mínimo de pedido para tentar minimizar o valor do CIF fazendo com que o usuário tenha que solicitar mais do que precisa.

Hoje, o mercado é repleto de empresas que vendem essas commodities e prestam o serviço de entrega ponto a ponto, diretamente nas mãos do usuário final, oferecendo ferramenta de requisição e gestão de gastos, eliminando todos os custos internos com almoxarifado.

O modelo ideal é procurar um fornecedor único para abastecer os suprimentos, o negócio é centralizar. Foque em empresas que têm todos os seus suprimentos em um único lugar, o Gimba é uma delas, com o nosso serviço a sua empresa reduz os fornecedores que geram custos em toda a cadeia de suprimentos, eliminando custos diretos e indiretos em todo o processo de aquisição. Então já sabe, do papel ao cafezinho conte com o Gimba. Clique aqui e saiba mais!

Deixe uma resposta